Nia DaCosta, diretora do próximo filme “Candyman”, inspirado no clássico de terror de 1992, compartilhou um curta-metragem arrepiante que descreve a história de origem de sua estrela titular.

Os fantoches das sombras, dirigidos pela Manual Cinema, contam novamente as cenas horríveis que formam o folclore do Candyman, com a pontuação de Robert Aiki Aubrey Lowe. "Candyman, no cruzamento da violência branca e da dor negra, trata de mártires involuntários", legendou DaCosta. "As pessoas que eram, os símbolos em que os transformamos, os monstros que nos disseram que deveriam ter sido".


A estréia curta em meio a um mundo que se levanta para protestar contra a brutalidade policial e o racismo sistêmico nos Estados Unidos que levam à morte de George Floyd, Breonna Taylor e Rayshard Brooks.

Produzido por Jordan Peele, o próximo filme segue a história do artista Anthony McCoy (Yahya Abdul-Mateen II), o jovem personagem do filme original que foi sequestrado pelo Candyman (Tony Todd), que agora está crescido. Anthony, junto com sua namorada (Teyonah Parris), muda-se para os agora habitados projetos habitacionais Cabrini-Green, em Chicago, onde se diz que os assombrados terrenos do Candyman. Quando Anthony encontra um veterano de Cabrini Green (Colman Domingo), ele expõe Anthony à trágica história por trás da história de Candyman.

O filme de terror foi originalmente marcado para estrear em 12 de junho, mas devido ao surto de coronavírus e aos cinemas ainda estarem fechados, a data foi adiada para 25 de setembro.

Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem