Header Ads

Últimas Noticias

A Atriz Lisa Sheridan de HALT AND CATCH FIRE Morre aos 44 Anos

CRÉDITO: MEDIAPUNCH / REX / SHUTTERSTOCK
A Atriz Lisa Sheridan de "Halt and Catch Fire", que também trabalhou em várias outras séries como "Invasion" e "CSI", morreu em seu apartamento em Nova Orleans em 25 de fevereiro. Ela tinha 44 anos.

A co-estrela de Sheridan, “Only God Can”, Donna D'Errico, compartilhou a notícia no Facebook.

É tão raro encontrar almas gentis como as dela nesta indústria, nesta cidade… até mesmo neste mundo”, escreveu ela. "Verdadeiramente uma das pessoas mais genuinamente doces e gentis que eu já encontrei na minha vida."

O gerente de Sheridan disse à People que eles ainda estão esperando o relatório de um legista por causa da morte, e que a família insiste que ela não tirou a própria vida.

Sheridan, que frequentou a Escola Carnegie Mellon de Drama em Pittsburg, na Pensilvânia, tem mais de 30 créditos televisivos em seu nome, incluindo aparições em “CSI: NY”, “The Mentalist”, “The 4400”, “Without a Trace” e “Diagnosis: Murder”. Ela estrelou recentemente o thriller ecológico independente “Strange Nature”, escrito e dirigido por Jim Ojala.

A atriz foi anteriormente contratada por Ron Livingston, com quem ela apareceu em 2000, Beat, que também estrelou Courtney Love, Kiefer Sutherland e Norman Reedus.

O diretor e editor de revista Michael Dunaway também lembrou Sheridan no Instagram.

Ela era linda, obviamente, e uma atriz imensamente talentosa e uma amiga maravilhosa”, escreveu ele, “mas, mais do que tudo, ela realmente irradiava essa energia e vida impossivelmente brilhantes. Mesmo em seus momentos sombrios. E ela teve muitos desses, especialmente nos últimos anos.

"Estou tentando me consolar sabendo que suas lutas e dor e aflição estão finalmente e por último ", continuou ele. “Eu te amo com todo meu coração, ontem, hoje e eternamente. Desculpe por não poder escrever mais; ainda é muito doloroso."



She called me Big Brother, and for all intents and purposes I was. I met Lisa when she was fourteen years old, over thirty years ago. We were immediately attached at the hip, true soulmates from minute one. For the rest of the days of her life, she was a central part of mine. She was beautiful, obviously, and an immensely talented actor, and a wonderful friend, but more than anything she really did radiate this impossibly bright energy and life. Even in her dark moments. And she had plenty of those, especially over the last few years. During these later years she took to telling me, "You're the greatest big brother a girl could ever have." It was how we ended each conversation. I treasured it then, and I treasure it even more now knowing I'll never hear it again, this side of the river. So good night, my sweet little sister. No one will ever again be to me what you were, and are. I'm trying to take comfort in knowing your struggles and pain and grief are "at last, and last behind you." I love you with all my heart, yesterday, today, and forever. Sorry that I can't write more; it's just still too painful.
Uma publicação compartilhada por Michael Dunaway (@michaeljohndunaway) em

Nenhum comentário