Header Ads

Últimas Noticias

CRÍTICA: Você Já Foi à Bahia? (1944) | Surreal

Sinopse:
Uma caixa grande chega para Donald em seu aniversário, três presentes dentro. Ele desembrulha um de cada vez e cada um o leva em uma aventura. O primeiro é um projetor de filmes com um filme sobre as aves da América do Sul; Donald assiste a dois desenhos animados, um conta sobre um pinguim que deseja viver em uma ilha tropical e outro sobre um menino gaúcho que caça a avestruz selvagem. O segundo presente é um livro pop-up sobre o Brasil. Por dentro, está José Carioca, que leva Donald à Bahia para uma mistura de animação e live action: os dois pássaros cantam e dançam com os nativos. O terceiro presente é uma piñata, acompanhada de Panchito. Um passeio em um poncho mágico leva os três amigos cantando e dançando pelo México.

Crítica:

Embora pouco conhecido entre algumas pessoas, este é um dos filmes mais inventivos e encantadores da Disney, superior em imaginação e pura magia cinematográfica, exceto alguns dos grandes clássicos do estúdio. Eu acho que foi menos bem-sucedido do que a maioria dos filmes da Disney porque - como seu quase gêmeo "Alô, Amigos", uma excursão de desenho animado na América Latina - foi e é menos atraente para a maioria das pessoas do que os contos de fadas.

A motivação para fazer esse filme foi, de todas as coisas, o Departamento de Estado dos EUA! Os EUA estavam profundamente envolvidos no combate à Segunda Guerra Mundial. Neste momento o americano médio não sabia quase NADA da América do Sul, e o governo nazista estava ocupado fazendo negócios e conexões políticas lá, especialmente no Paraguai. Os alemães tinham uma colônia bem estabelecida. Eles estavam ajudando o esforço de guerra de Hitler com a operação de preocupações industriais, bem como fornecendo apoio em espionagem.

A América do Sul prometeu se tornar uma nova frente de batalha se os sucessos alemães e a infiltração continuassem. A região produziu matérias-primas estratégicas vitais, entre elas a borracha.

O aliado mais forte na região nada menos que nosso país o Brasil. A Marinha dos EUA possuía várias instalações no mar e no ar. A Marinha do Brasil trabalhou em estreita colaboração com as forças dos EUA na caça de submarinos no estreito do Atlântico; vários navios da Marinha dos EUA foram transferidos para nós. As bases aéreas americanas (a maior delas em Recife) forneceram uma base para as aeronaves americanas, fornecendo de cobertura de apoio aéreo às operações de comboios transatlânticos.

O Departamento de Estado achou que seria uma boa ideia familiarizar os americanos com a terra, as pessoas e o modo de vida da América do Sul, e pediu à Disney que produzisse "Você Já foi a Bahia?"'. O filme foi, em primeiro lugar, um instrumento didático para as forças militares e para o público em geral durante uma guerra global.

E a natureza fraturada e surreal deste filme é explicável quando visto no contexto de outras características animadas da Disney dessa época. "Fantasia" (é claro), "Dumbo", "Pinóquio" e outros filmes continham o que pareciam sequências induzidas por drogas ou álcool (talvez alguém com um conhecimento mais íntimo das produções da Disney na época possa lançar alguma luz sobre elas!) . A Disney também parecia ansiosa para experimentar a mistura de animação e live action durante esse período estilo "A Canção do Sul".

Os últimos quinze minutos parecem estar lutando por uma maneira de manter a atenção do espectador com alguns fogos de artifício explosivos e uma deslumbrante exibição de surrealismo, sem qualquer concepção de uma maneira de terminar o filme com classe. O filme em si é desigual, oferecendo animação típica da Disney para a sequência do burro voador e, em seguida, recorrendo a fogos de artifício exagerados que superam o número de Elefantes Cor-de-Rosa de "Dumbo".

Mas é difícil resistir a partitura e às charmosas caracterizações de Donald, Panchito e Zé Carioca. A concepção estilizada de um Natal mexicano pela artista Mary Blair é um destaque entre o trabalho de arte envolvido aqui, embora mais tarde a seqüência piñata seja um pouco esmagadora em efeitos.

A cor deslumbrante e a música fazem valer a pena assistir pelo menos uma vez, embora seja difícil fazer uma comparação entre esse e outros recursos completos da Disney. Algumas das ações são rápidas, mas o tipo de coisa que atrairá crianças muito pequenas.

A animação é realmente boa e algumas das músicas (especialmente a música-título) são memoráveis. Assista pelo que ele é e aproveite!

Classificação Final: 3/5






Assista o trailer abaixo:


Prêmios e Indicações:
Nomeado ao Prêmios da Academia Oscar (1946) por: Melhor Som por C.O. Slyfield (Walt Disney SSD), Melhor Música por: Edward H. Plumb, Paul J. Smith e Charles Wolcott; Nomeado com o Golden Lion no Festival de Cinema de Veneza (1949) por Walt Disney.

Nenhum comentário