Header Ads

Últimas Noticias

CRÍTICA: ZINZANA (2015)


Sinopse:
Preso em uma cela de prisão ("Zinzana") em uma delegacia remota, um homem chamado Talal (Saleh Bakri) é torturado por visões de sua amada ex-mulher e filho enquanto espera para ouvir o seu destino. Quando o oficial Daban (Ali Suliman), de uma cidade vizinha, passa, Talal observa que a visita amigável de repente se transforma em um banho de sangue. Estar atrás das grades é agora o menor dos problemas de Talal, pois ele é forçado a jogar um jogo maluco para salvar a vida de sua família.

Crítica

Os atores constroem uma forte intensidade para este suspense surpreendente, e o diretor alternou de forma muito inteligente entre suspense, humor e tensão, o resultado é um sucesso fantástico para um longa-metragem do diretor pela primeira vez.

Com o filme inteiro ocorrendo dentro do único cômodo da estação, Majid Al Ansari conseguiu criar um filme que não parece repetitivo. Há cenas tão criativas, e o público é levado através de paredes, tubos no teto e até para o céu para uma visão de satélite da área. Os ângulos de câmera, que mudam continuamente de close-ups para planos médios longos, funcionam bem, possivelmente feitos para mostrar o desespero de alguém e a loucura psicótica do outro.

Eu gostaria que ele tivesse uma dublagem em português - também porque provavelmente teria um sucesso mais amplo, mas é a única crítica que eu teria. Para o resto, um suspense muito sólido para quem quer passar um grande momento assistindo um filme. Menção especial para Ali Suliman, cujo desempenho é excelente e Ahd Kamel, cuja capacidade de capturar o olho da câmera é impressionante (apesar do papel curto que seu personagem tem).

As performances são perfeitas, notavelmente Ali Suliman que interpreta Daban (o policial psicopata) com perfeição. Sua performance, apesar de única, lembra levemente o Coringa de Heath Ledger, em sua habilidade de ser engraçado e ameaçador. O que mostra que homens maus nem sempre estão atrás das grades A comédia / química entre Daban e a corpulenta Aida (Yasa) é brilhante. A cinematografia é brilhante, escura e definitivamente contribui para o suspense.

A história se desenrola exatamente como você espera, mas isso é parte integrante de sua estrutura. Tudo o que acontece é configurado e prenunciado sem fim, mas é tudo apenas em uma questão de quando. O fato de usar a família como ponto de partida é por que ele é tão eficaz. Certas coisas simplesmente têm que acontecer para que o filme progrida do ponto A para o ponto B, mas como o Dabaan usa o Talal para chegar lá é o que faz da Zinzana um filme de destaque.

Curioso ver que ele foi indicado no mesmo ano (2015) por Melhor Filme no Festival Internacional de Dubai. Um filme altamente recomendado.

Até a presente data ele está disponível na Netflix

Classificação Final: 4/5




Confira o Trailer abaixo:

Nenhum comentário